quinta-feira, abril 14, 2011

Desculpa, mas eu não vou colocar isso no meu mural

O Facebook tomou conta das nossas vidas. A partir do momento em que fizemos "log in" pela primeira vez, a nossa sina estava traçada. Seguiram-se ondas de "quizzes", jogos, comentários supostamente engraçados e "gosto" em tudo o que aquela rapariga que nós achamos tão gira escrevia. Quantos de nós não vão ao Facebook antes de começarem a trabalhar? Vá, não tenham vergonha.
Lentamente, sem que nos apercebêssemos, os "chainmails" começaram a tomar conta de inúmeros murais, pedindo ajuda para todos e quaisquer problemas onde a única coisa que se pede é apoio. Em vez de mandarmos a mensagem para 5 amigos, como se fazia antigamente, este verdadeiro camaleão virtual pede-nos agora que simplesmente coloquemos a sua mensagem no nosso mural e que se os nossos amigos quiserem, que façam o mesmo. O que está em jogo não é a nossa sorte, mas sim a nossa suposta dignidade. Bem jogado, "chainmail", bem jogado. Contudo, eu sou uma pessoa amargurada, não me apanhas assim tão facilmente.
Eu sei que o Facebook ajudou recentemente uma menina a conseguir uma segunda oportunidade na sua vida. Milhares de pessoas ajudaram e partilharam a sua história e todos doaram dinheiro. A menina recuperou, foi noticia nacional e todos nos sentimos melhor. Isso é uma coisa, isso é o Facebook a dizer que somos bons, que conseguimos unir-nos e ajudar alguém. Mas quando se trata de uma mensagem estúpida sobre o meu apoio à luta contra o cancro e que "de certeza que 3% dos meus amigos também irão colocar isto no seu mural", este tipo de coisas não ajuda ninguém a lutar contra o cancro, só serve para fazer as pessoas sentirem-se mal. E isso é "chainmail", bitches.
Oiçam, eu temo o cancro. A minha avó faleceu no ano passado depois de passar anos e anos a lutar contra a maldita doença. Não sou daqueles insensiveis que apenas fala porque nunca sentiu a dor de perder alguém querido. Eu não só perdi uma das pessoas mais importantes da minha vida para o cancro como a vi lutar durante tanto tempo e nunca pude fazer mais nada do que lhe dar o meu apoio, e rezar para que não falecesse hoje ou amanha.
Esse tipo de mensagens nos murais não me ajuda nem me apoia, irrita-me. Querem fazer-me pensar que, se não colocar aquilo e espalhar, sou um monstro. Pois eu quero que se lixem. Se me querem apoiar e se querem ajudar os vossos familiar, dêem-lhes um abraço, digam-lhes que estão ali para eles. Será que vocês chegam ao pé da vossa familia e dizem "pessoal, não se preocupem, coloquei uma cena no mural do Facebook e a avó vai ficar melhor". O mundo é muito pior que isso e muito provavelmente o vosso familiar não ganhará a luta, mas tenham vergonha se perdem tempo com isso em vez de estarem com eles.
Desculpem, mas eu não vou colocar nada disso no meu mural. Acho amoral e parvo, até porque sei que essas mensagens calorosas de compreensão e amor não são mais que "chainmails" disfarçados para invadirem os nossos murais como virus. São, isso sim, apenas instrumentos sociais para que possamos apelar ao bom senso das pessoas, não porque é necessário, mas sim porque fica bem. Metade das pessoas não sabe o que é perder alguém para a doença e mesmo que ache que está a apoiar, no seu interior sabe que o faz porque os amigos também o fizeram e ela não se quer sentir fora do grupo. O amor, a amizade e a sorte são mais fáceis e ajudam. Se passaram pelo mesmo que eu, têm o meu apoio e quando vos vir, dou-vos um enorme abraço. Mas se acham que devo colocar o que quer que seja no meu mural para demonstrar o meu apoio, então deixem que vos diga que vocês estão a fazer as coisas mal. Parem de fazer os outros sentirem-se mal.
E eu sei que este tipo de coisas ajuda certas pessoas a ultrapassarem a sua dor, não tenho nada contra isso. Acredito que pelo menos "3%" o faça com gosto e com o nobre sentimento de ajudar. Mas e os 97%? Este tipo de coisa é assim tão necessária? Se é, não me mandem à cara, façam-nos discretamente. Se apoiam os doentes, façam-no, não o venham dizer propositadamente numa rede social.

Resumindo, pensem o que quiserem, mas eu não vou colocar nada disso no meu mural, vou, isso sim, colocar uma piada estúpida. Porque esse é quem eu sou, não um "chainmail".

Etiquetas:

4 Comentários:

Blogger rocha disse...

Concordo.
E ia dizer apenas isto, só para te mandar à cara que leio e comento as tuas cenas. Mas depois não me ia sentir bem. Portanto, devo acrescentar que para além de chainmails de cancro deviam acabar com o início do problema, o cancro. toda a gente sabe que isso foi inventado para que as pessoas morram e as outras tenham pena delas, para que as ong's ganhem dinheiro à pala disso. ah pois é. e sim, a minha avó também morreu de cancro, se é que isso me dá direito de falar...

12:31 da manhã  
Blogger Gui disse...

Adorei o texto, canelo.
Mas deixa-me dizer-te que não vou colocá-lo no meu mural, desculpa. ;)

gui
(www.ramboiablog.blogspot.com)

10:39 da tarde  
Blogger MK disse...

Adorei o texto! E concordo plenamente!
Eu vejo várias pessoas da minha lista com textos desses e nunca ponho no meu.
Acho que cada um tem consciência com o que se preocupa e com o que é realmente importante para si sem por isso ter de existir a necessidade de colocar no facebook só para os outros verem que provavelmente até nos importamos com os outros. Não é uma mensagem que faz isso.

3:17 da tarde  
Blogger JohnSamus disse...

Marta:

Eu acredito que muitas pessoas o façam porque acham que estão a ajudar ou simplesmente a dizer que se "preocupam". Não as posso censurar quando existe algum pingo de bom senso e vontade. Contudo, isto não deixa de ser chainmail, mensagens escritas sem quaisquer valor que apenas servem para nos chatear. Acho que todas as pessoas que acreditam verdadeiramente nessa boa vontade deviam escrever a sua própria versão e retirar o "se concordam, colem no vosso mural", sem sentirem que estão a obrigar os outros a fazer o mesmo.
Mas o pior deste chainmail, a coisa mais reles é fazerem-te sentir mal por não partilhares. Aquela referência aos "3% dos amigos" é das coisas mais irritantes que vi no FB e é de uma falsidade tremenda. Primeiro, deixam as pessoas pouco à vontade por não partilharem; segundo, estão basicamente a dizer que 97% dos seus amigos não valem nada. É incrivel.
Concordo contigo, não é uma mensagem que faz isso. Como digo no texto, um abraço ou uma palmada nas costas é muito melhor que umas quantas linhas criadas à pressão. E cada um deve ter consciência daquilo que faz e naquilo que acredita, sem dúvidas, mas o raio da mensagem é demasiado acusadora para ficar calado!

Obrigado por teres comentado! E já agora, obrigado aos outros dois queridos.

6:29 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial